dicas para colocar suas finanças pessoais em ordem

9 Dicas para Colocar suas Finanças Pessoais em Ordem

A administração das finanças pode ser desafio maior do que se pensa para muita gente, especialmente para quem trabalha com CNPJ e também precisa administrar as finanças da empresa.

Entretanto, é uma tarefa muito importante, pois a falta de planejamento pode levar a problemas sérios, como o endividamento crescente, despesas desnecessárias que prejudicam a renda, e até falência.

Para evitar isso, você deve investir no controle financeiro efetivo de seu dinheiro.

Assim, você terá menos preocupações no final do mês e terá outros benefícios, como a possibilidade de investir e multiplicar seu capital, viajar, trocar de carro, etc.

É por isso que reunimos 9 dicas simples para ajudá-lo a colocar suas finanças pessoais em ordem.

9 Dicas Simples para Colocar suas Finanças Pessoais em Ordem

Antes de continuar, quero que você se lembre disso:

Para ter uma vida financeira saudável, todos os passos, invariavelmente, vão depender apenas de você.

Não se preocupe com acontecimentos externos, crise financeira, decisões do Governo ou do seu patrão, impostos ou aumento de preços, apenas faça o que tiver que ser feito.

Confira agora nossas melhores dicas para arrumar suas finanças pessoais o mais rápido possível:

1. Orçamentação

Fazer uma lista de todas as despesas fixas, tais como água, eletricidade, telefone, aluguel, etc.

Em seguida, calcule a média de todos esses custos para o mês.

O número que você obteve é o custo de vida.

Você deve estar ciente de que este valor já faz parte de sua renda a cada mês, portanto, sempre acompanhe suas despesas futuras para garantir que tudo corra de acordo com o planejado.

O valor restante é o que está disponível para investir em custos variáveis, investimentos ou para constituir uma reserva financeira.

2. Estabelecer metas de economia

A economia não pode ser feita apenas com o dinheiro que lhe resta no final do mês.

Deve ser estabelecido objetivo para que você possa não apenas controlar seus gastos, mas também fazer uma previsão financeira.

Você pode reservar uma certa quantia a cada mês para este fim e transferi-la imediatamente quando receber seu salário para uma conta diferente daquela que você usa para suas despesas diárias.

3. Limite suas despesas diárias

Assim como você deve estabelecer metas de economia, é uma boa ideia estabelecer metas de gastos, estabelecendo um valor máximo mensal para cada tipo de despesa.

Você pode fazer isto, por exemplo, por categoria.

  • 15% com o supermercado
  • 10% para atividades de lazer;
  • 5% com roupas e outros acessórios.

Isto não significa que você tenha que gastar esta quantia todo mês, mas é a quantia máxima que você pode gastar em cada tipo de indulgência. Este é um grande passo em frente na gestão das finanças pessoais.

4. Evite gastos desnecessários

Ao mapear sua renda é mais fácil avaliar o que é e o que não é gasto importante ou prioritário.

Desta forma, você evitará gastar seu salário em despesas que não pode pagar.

Quando você quiser comprar algo, pergunte-se se você pode pagar e se realmente precisa.

Às vezes a vontade é mais forte, mas você tem que se controlar porque é melhor evitar dividas a comprar algo desnecessário.

Se você tem várias prioridades, mas só pode pagar uma, priorize a mais importante.

Se você deixar de desperdiçar dinheiro em coisas desnecessárias para poder investir, economizar para uma aposentadoria mais pacífica ou economizar para algo que você realmente quer ou precisa, desta forma você está resinificando seu dinheiro e seu tempo gasto para conquista-lo.

5. Fique fora de dívidas

Se você não tem dívidas, você está a caminho de resolver suas finanças pessoais.

Mas se você tiver, este é o primeiro problema que você precisa resolver para colocar suas finanças em ordem.

As contas vencidas têm outros custos, pois as despesas e os juros se acumulam, e diminuem sua capacidade de economizar e controlar.

Nesses casos, todo o dinheiro que recebemos é usado para pagar as contas, mas o principal objetivo é pagar a dívida.

Você pode resolver este problema tentando renegociar ou pagar a dívida em prestações e se livrar desta “pedra” no projeto da organização financeira.

6. Reservar uma certa quantia para as despesas anuais

A maioria das pessoas comete o erro de se concentrar nos custos mensais e não levar em conta os custos anuais, como IPVA, IPTU e seguros.

Estes custos podem ser um problema se você não os planeja.

É aconselhável reservar uma certa quantia para estas despesas durante o ano. Uma ideia é reservar uma certa quantia a cada mês.

7. Manter uma reserva para emergências

Situações imprevistas podem ocorrer a qualquer momento, portanto, esteja preparado.

O objetivo de ter um fundo de emergência é estar preparado para situações inesperadas, tais como o cancelamento de um contrato, problemas de saúde, consertos de carros, etc.

Em tais momentos, é preciso estar financeiramente seguro, que é o que um fundo de emergência proporciona.

8. Separar contas pessoais e profissionais

O controle financeiro deve ser exercido por todos. Entretanto, se você também é uma pessoa jurídica, você deve estar especialmente atento.

As contas pessoais nunca devem ser misturadas com contas profissionais, e isto não se aplica apenas a uma organização.

Se você misturar essas contas e usar a renda pessoal para pagar as dívidas de uma pessoa jurídica e vice-versa, suas contas estarão em risco, além de ter sérias consequências, tais como a incapacidade de planejar financeiramente a empresa.

Isto porque todos os CNPJs são obrigados a realizar uma reconciliação bancária, que consiste em fazer corresponder o extrato bancário do PJ com o extrato de receitas e despesas da empresa.

Se você combinar finanças pessoais e comerciais, a conta não é fechada.

Para evitar este problema, é melhor abrir duas contas bancárias separadas: uma para pessoas físicas e outra para empresas. Isto evita a mistura das contas e receitas das duas empresas.

9. Use a tecnologia a seu favor

Existem vários Apps no mercado que podem ajudá-lo a administrar suas finanças pessoais no dia-a-dia, facilitando o acompanhamento e controle de todas as despesas que fazem parte de sua rotina diária.

Desta forma, você poderá descobrir quais quantias são gastas desnecessariamente e o que fazer para reduzi-las.

O mais importante é que você aprenda a administrar suas finanças, economizar e cuidar melhor de sua renda.

Você já percebeu como é importante organizar suas finanças pessoais e separá-las das contas de sua empresa?

Coloque estas dicas em prática agora. Se o fizer, você terá uma vida financeira mais relaxada e a possibilidade de atingir todos os seus objetivos.

Você vai gostar também: Conheça 6 Gatilhos Emocionais que Te Fazem Gastar Mais

5/5 - (11 votes)
Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima